Os adultos não sabem ver como as crianças

por Alexandra Martins

Reli recentemente O Guarda da Praia, da autoria de Maria Teresa Maia Gonzalez. Não me lembro que idade tinha quando o li pela primeira vez, mas sei que fiquei com boas memórias. Agora, repesquei-o da prateleira, mas a experiência de leitura não foi de modo nenhum igual.

GUARDADAPRAIA

Este livro é sobre uma escritora, a narradora da história, que arrenda uma casa na praia, durante o verão, para terminar o seu romance. É então que conhece Dunas, um rapaz tão selvagem como o cenário que o rodeia; Dunas é livre, irreverente e muito curioso. Inicialmente, a narradora fica assoberbada com este rapaz, mas à medida que o vai conhecendo, começa a ganhar-lhe carinho e forma-se entre os dois uma bonita amizade.

Em miúda, eu vibrava com a força e a ousadia do Dunas, partilhávamos a idade, os longos meses de verão e as liberdades que só tem quem vive perto da praia. Eu entendia o Dunas. Entretanto cresci e tornei-me adulta, já não sou o Dunas, mas também não me identifiquei com a narradora (que me parece ter bastante menos importância na história do que o nosso pequeno protagonista). Deixei de viver o livro para o ler como uma espetadora externa e isso fez a total diferença na experiência de leitura.

Poderia dizer que, tendo lido agora O Guarda da Praia percebi muitas coisas que não percebi na altura (como por exemplo as complexidades da família disfuncional do Dunas), mas isso não compensa o facto de não ter sentido a magia do livro fluir em mim, como sei que aconteceu da primeira vez que o li. Há livros que são escritos para serem lidos e sentidos apenas pelos mais novos e acho que este é um deles, onde o herói é como eles e onde o mundo se vê através dos olhos de uma criança. Olhos esses que, por vezes, faltam aos adultos…

9789892700922
O Guarda da Praia continua a ser um excelente livro infantil, abordando temas que são fulcrais ainda nos dias de hoje: o respeito pela natureza e o nosso dever de a proteger, os laços familiares que vão para além do sangue e a cumplicidade que nasce das amizades mais bonitas e que não olham a idades. Um livro que me deliciou na infância e que, certamente, continuará a fazer as delícias de muitos jovens!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s