Leituras do baú – «O Clube das Chaves»

por Alexandra Martins

Quando era pequena, devorava todas as coleções infanto-juvenis que houvesse. E havia tantas. Uma das que melhor me lembro é a d’O Clube das Chaves. Da autoria de Maria Teresa Maia Gonzalez e Maria do Rosário Pedreira, esta é uma coleção composta por 21 livros, cada qual com uma história individual.

Tudo começa no dia em que o Pedro faz treze anos e recebe um presente muito especial: uma caixa do Avô Cosme, um homem misterioso e muito culto que era o ídolo do Pedro e que tinha falecido recentemente. Dentro da caixa está um conjunto de chaves, cada qual com um enigma e uma aventura por viver. O desafio que o Avô Cosme lhe lança é o de desvendar cada mistério, um de cada vez e por ordem, descobrindo onde pertence cada uma das chaves.

O Pedro, receoso de não conseguir levar a cabo uma demanda de tal envergadura sozinho, decide então criar a O.R.D.E.M. (Organizacão para a Resolução e Descodificação de Enigmas e Mistérios, Lda.) da qual fazem parte o seu melhor amigo Frederico, a sua irmã Anica e a sua prima Guida. São eles o Clube das Chaves. De fora do clube ficam os primos André, mais velho e com outros problemas para resolver, e Vasco, mais novo e muito inteligente, que se ressente por não ter sido convidado para integrar o grupo. Sentindo-se excluído, Vasco transforma-se no Fantasma da O.R.D.E.M., com o objetivo de resolver cada mistério antes dos outros sem que eles descubram quem ele é.

Em todos os livros, uma ilustração das personagens principais. Da esquerda para a direita: Frederico, Pedro, Anica, Guida, Vasco e André.
Em todos os livros, uma ilustração das personagens principais. Da esquerda para a direita: Frederico, Pedro, Anica, Guida, Vasco e André.

É à volta destas cinco personagens e das suas famílias e amigos que gira a história, sendo cada livro dedicado à resolução do enigma de uma chave. Umas vezes a O.R.D.E.M está à frente, outras é o Fantasma, enquanto vão vivendo aventuras, crescendo, aprendendo, desabrochando para a adolescência e a idade adulta, com tudo o que isso implica – romance, amizade, problemas, decisões que vão ter de tomar.

Para mim, um dos pontos altos desta coleção é este crescimento, que quase acompanha o leitor. Ao contrário de séries como Os Cinco ou Uma aventura em que as personagens são eternamente jovens, aqui vê-se um crescimento e um amadurecimento por parte de todas as personagens, além de se aprofundarem feitios, sentimentos e atitudes. O Pedro, a Anica, o Fred, a Guida, o André e o Vasco do primeiro livro são diferentes dos do último, tornando os livros ainda mais reais e próximos dos leitores, que se identificam com algumas das situações que surgem, como o primeiro amor, as zangas de família, os problemas na escola, as opções difíceis que às vezes todos temos de tomar.

A coleção, editada pela editora Verbo, termina no número 21, com a última chave e um título deveras apelativo: O Clube das Chaves agarra o fantasma, lançado no ano 2000. Em 2005, a coleção foi adaptada a série televisiva, com 21 episódios (um por cada livro) emitida na TVI, e os livros tiveram direito a novas capas, com as imagens da série. Pessoalmente, gostava mais das primeiras capas.

clube-das-chaves
Capas originais

capa nova1 capa nova 2

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s