Monthly Archives: Janeiro 2015

Tomás, a locomotiva azul

tomaseosamigos

Tomás e os Amigos é um dos desenhos animados que tem marcado a infância de muitas pessoas desde que estreou em Portugal pela primeira vez nos anos 1990. Tal como muitos clássicos infantis da televisão, também este teve origem numa série de livros, intitulada The Railway Series, da autoria de um pastor anglicano chamado Wilbert Awdry. A história é sobre um grupo de locomotivas antropomórficas que vive num sistema de caminhos de ferro situado na ilha imaginária de Sodor. Este ano assinalam-se setenta anos desde que o primeiro livro foi publicado.

TheThreeRailwayEngines

A série é composta por 42 volumes. Os últimos dezasseis livros foram escritos pelo filho de Wilbert, Christopher Awdry. A histórias surgiram, como acontece muitas vezes, quando Christopher era pequeno e ficou doente com sarampo, e Wilbert, para o entreter, começou a contar-lhe várias aventuras vividas por locomotivas no seu dia-a-dia nos caminhos de ferro. Encorajado pela esposa, Wilbert então decidiu submeter algumas das suas histórias a uma editora e em 1945 é lançado The Three Railway Engines, com ilustrações de William Middleton.

thomas

Mas a personagem de Thomas surgiu mais tarde quando Wilbert construiu uma locomotiva de brinquedo para o filho, que passou a pedir-lhe histórias com esse brinquedo como personagem central, a que foi dado o nome, precisamente, Thomas. Daí surge o livro publicado em 1946 com o título Thomas the Tank Engine. Os livros tornaram-se tão populares que nos anos 1980 realizou-se uma série de desenhos animados estreada no canal inglês ITV, tornando-se também ela tão popular que ainda hoje passa na televisão, em vários países, incluindo em Portugal (canal Panda), contando com quase quinhentos episódios. Existem também brinquedos do Tomás e os amigos e merchandising diverso.

Em Portugal, os livros do Thomas & amigos são publicados pela Editora Objectiva.

thomaseamigos

 

Para saber mais sobre o autor e os livros dê um saltinho aqui.

Os livros em papel ainda são os preferidos, mas os ebooks vieram para ficar

KaS_fd_k12

O debate sobre se ler livros eletrónicos é ou não benéfico para as crianças continua. Estudos indicam que as crianças mais pequenas gostam dos livro tradicionais contudo já começam a preferir o ebook. Os gadgets entram desde cedo nas suas vidas, pelo que a leitura de livros eletrónicos já faz parte das suas rotinas. Segundo um estudo levado a cabo pela PlayCollective juntamente com a Digital Book World, os pais preferem ler livros encadernados com os filhos, mas consideram que também é benéfico elas lerem ebooks, especialmente se forem interativos.

Mais sobre este e outros estudos aqui.

As crianças gostam mais de ler se forem elas a escolher os livros

estudojan2015

por Catarina Araújo

É isso que conclui um estudo feito pela Scholastic sobre hábitos de leitura entre as crianças divulgado recentemente.

Ler por prazer parece ser a chave para leitores regulares. Por outro lado, limitar ou determinar que livros uma criança ou um jovem deve e não deve ler pode afastá-los da leitura. Noventa e um por centro das crianças e jovens entre os seis e os dezassete anos afirmaram que «os meus livros favoritos são aqueles que escolhi sozinho».

Há outro aspeto que chama a atenção: crianças e jovens entre os doze e os dezassete anos que são leitores regulares chegam a ler uma média de trinta e nove livros por ano (nos EUA) enquanto que aqueles que são leitores pouco frequentes leem apenas uma média de cinco livros por ano.

O estudo indica que filhos de pais que são leitores frequentes têm maiores probabilidades de serem também eles leitores frequentes. Ler em voz alta com os filhos também tem influência nos hábitos de leitura das crianças.

Um outro fator importante que influencia os níveis de leitura é, segundo o estudo, ter tempo para ler. Hoje em dia as crianças, à medida que vão crescendo, vão-se envolvendo em mais e mais atividades extracurriculares que não deixam muitas horas livres para fazer outras coisas. Como consequência, a partir dos oito anos de idade os níveis de leitura começam a decair, principalmente entre os rapazes. Por outro lado, crianças entre os doze e os dezassete a quem seja dada a liberdade de escolher leituras, que tenham uma biblioteca variada em casa, que sejam encorajadas pelos pais, terão maiores probabilidade de manterem os níveis de leitura ou até de aumentarem a frequência com que leem por prazer.

O estudo completo, embora tenha sido feito nos EUA, revela conclusões interessantes e que podem servir de base para uma reflexão sobre como atrair as crianças para a leitura.

«A Fonte Misteriosa» celebra 40 anos

tuckeverfontemisteriosa

O clássico de Natalie Babbitt sobre uma família que encontra uma fonte da juventude no meio da floresta celebra em 2015 quarenta anos desde que foi publicado. Por cá o livro foi editado em 2003, na coleção «Estrela do Mar», da Editorial Presença. Em 2002 teve uma adaptação ao cinema produzida pela Disney, com Alexis Bledel (Gilmore Girls), William Hurt e Sissy Spacek nos principais papéis.

O livro conta a história de Winnie, de dez anos, que vive sob a vigilância apertada dos pais e quase nunca pode sair de casa. Farta de estar sozinha decide explorar o bosque mesmo em frente à sua casa.  É então que conhece Jess Tuck, um rapaz que aparenta ter dezassete anos, mas na verdade tem cento e quatro. Jess e toda a sua família têm longos anos de vida, graças a uma nascente cuja água tem propriedades mágicas.

Natalie Babbitt é uma autora e ilustradora americana galardoada com o Prémio Hans Christian Andersen, em 1982, entre outros prémios, tendo a sua carreira sido distinguida recentemente com o E.B. White Award.

Daqui.

Nova rainha do Young Adult chega a Portugal

bookbuzz_jan2015

Rainbow Rowell tem competido lá fora por um lugar de rainha do romance teen ao lado de John Green, com obras aclamadas criticamente como Fangirl, Landline e Eleanor & Park, que chega finalmente aos escaparates portugueses. A Planeta Tangerina lança um livro que faz clap, clap, clap e há um livro que é só para os avós lerem com os netos. Saiba tudo sobre as novidades que andam por aí a zumbir

clapa_capa

Livro Clap, de Madalena Matoso, Planeta Tangerina

«O Livro Clap é para abrir e para fechar. Porque cada vez que o abres e fechas há qualquer coisa lá dentro que se mexe e faz barulho: Flap, flap… uma borboleta que bate as asas. Fomfim… um acordeão que estica e encolhe. Bong, bong… um rapaz que toca bombo com toda a energia. O Livro Clap não precisa de pilhas nem de bateria, só precisa das tuas mãos, uma de cada lado. Clap, clap, palmas para os leitores!»

O livro encontra-se aqui.

historiasavosnetos
Histórias Para os Avós Lerem aos Netos, de Isabel Stilwell, ilustrações de Marta Torrão, Verso de Kapa

«Este livro é para avós que não estragam os netos, porque sinceramente quem são os avós que querem netos estragados?, mas que lhes dão um colo sereno e um abraço apertado quando esfolam um joelho ou magoam o coração. Este livro é para avós que querem netos felizes, solidários, seguros de si e sem medos. Este livro é para avós que adoram a desculpa que os netos lhes dão para voltarem a meter-se em aventuras que toda a gente jura que já não têm idade para fazer. Este livro e todas as histórias que cá tem dentro, são para avós como nós. E para os nossos netos. PAIS NÃO ENTRAM NESTE LIVRO.»

Mais informações aqui.

espreitaportugal

Espreita a História de Portugal, de José Jorge Letria, ilustrações de Vítor Lopes, Porto Editora

«Queres saber como nasceu Portugal, o que foram os Descobrimentos ou o que aconteceu no 25 de Abril? Então abre este livro, levanta todas as abas e descobre as respostas e curiosidades sobre o nosso país. Neste livro interativo, escrito por José Jorge Letria, repleto de ilustrações cheias de humor, vais aprender tudo sobre os momentos mais importantes da História de Portugal de uma forma divertida!»

A coleção Espreita já vendeu, segundo a editora, mais de 200 mil exemplares em Portugal e conta agora com a primeira produção de um autor português.

Mais sobre o livro e a coleção aqui.

eleanorpark_saida

Eleanor & Park, de Rainbow Rowell, Chá das Cinco

«Eleanor é uma miúda nova na escola, vinda de outra cidade. A sua vida familiar é um caos; sendo gorda e ruiva, e com a sua forma esquisita de se vestir, atrai a atenção de todos em seu redor, nem sempre pelos melhores motivos. Park é um rapaz meio coreano. Não é propriamente popular, mas vestido de negro e sempre isolado na música através dos seus fones e livros, conseguiu tornar-se invisível. Tudo começa por ser diferente quando Park acede a que Eleanor se sente ao lado dele no autocarro da escola. A princípio nem sequer se falam, mas pouco a pouco começam por se envolver numa genuína relação de amizade e cumplicidade que mudará as suas vidas. E contra o mundo, o amor nasce. Porque o amor é um superpoder.»

Tudo sobre este livro aqui. E o sítio oficial da autora também merece uma visita.

salla

Vermelho como o Sangue, de Salla Simukka, Editorial Presença

«Lumikki Andersson tem 17 anos e vive sozinha num pequeno apartamento, na cidade onde frequenta uma prestigiada escola de Artes. Lumikki é solitária, independente, e gosta da liberdade. Na escola prefere dedicar-se aos estudos e ignorar os grupinhos que se vão formando. Não se meter naquilo que não lhe diz respeito é, para ela, uma regra fundamental. Mas essa regra vai ser posta à prova no dia em que encontra uma incrível quantidade de notas de quinhentos euros penduradas a secar no laboratório fotográfico da escola e que tudo indica terem estado manchadas de sangue. Em poucas horas, Lumikki, juntamente com três dos seus colegas, vê-se enredada numa sombria conspiração.»

Mais aqui. E na página oficial de facebook da autora.

Heidi e o poder do ar das montanhas

heidi heidi2

por Catarina Araújo

Heidi é uma menina curiosa, alegre, doce, sem um pingo de maldade no corpo, apesar das suas circunstâncias – é órfã, e vive com a tia, que a larga no meio das montanhas dos Alpes suíços, às mãos de um avô que não conhece e que é calado e resmungão. Mas Heidi não se importa nada, muito pelo contrário. Fica fascinada com as paisagens, as cores, os cheiros, os animais, e nem fica nada atrapalhada quando o avô lhe diz que não tem cama para ela. Fazem uma cama com feno, por cima da qual estendem lençóis e cobertores e pronto.

Heidi é intrinsecamente feliz e contagia os outros com a sua bondade e energia positiva. Pedro, o rapaz, pastor de ovelhas, a avó que até Heidi aparecer apenas espera pela hora em que a morte a levará, o avô que não desce a montanha e passa os seus dias ruminando solitário nos seus afazeres, todos eles são inspirados pela menina.

Até que um dia a tia regressa para a levar para Frankfurt a fim de fazer companhia à filha doente de um senhor rico. É aqui que tudo muda. A vida na cidade deprime Heidi, que por ser um espírito livre, deixa a rígida governanta, a Miss Rottenmeier, em polvorosa. Apesar de a menina se afeiçoar a Clara, a rapariga doente, e à avó dela, a Sra. Sesemann, Heidi tem muitas saudades da montanha, da liberdade que tinha, do avô, e sofre ao saber que a avó de Pedro poderá morrer antes que possa cumprir a promessa que lhe fez de voltar com pãezinhos fofos.

A história é bucólica, sacarina, otimista, Heidi é como um sol, uma criança que quase pode ser comparada a um anjo na terra, já que o livro está imbuído de mensagens cristãs, falando-nos do poder da fé e da oração, e com uma situação específica que poderia ser atribuída a um «milagre», mas que deixa espaço para a «força de vontade» e a influência do positivismo. As descrições alimentam imagens românticas de paisagens verdejantes, fazendo-nos sonhar com uma viagem aos Alpes suíços e, sobretudo, recordar como é importante o contacto com a natureza.

Um livro que fará com que muitas crianças queiram saltar do sofá e pedir aos pais para irem todos juntos dar um passeio no campo.

Título: Heidi, a Menina dos Alpes e Heidi, o Milagre da Montanha
Autor: Johanna Spyri
Tradução: Dora Reis e Manuela Ramos
Editor: Booksmile

Os 100 melhores livros para crianças, segundo a «Time»

Além dos cem melhores livros para adolescentes, a revista Time também elegeu os cem melhores livros ilustrados para crianças. Aqui fica a lista daqueles que estão editados em Portugal.

Onde Vivem os Monstros, de Maurice Sendak (Kalandraka, 2009)
A Árvore Generosa, de Shel Silverstein (Bruaá Editora, 2008)
Olivia, de Ian Falconer (Editorial Notícias, 2001)

olivia
Não Deixes o Pombo Guiar o Autocarro, de Mo Willems (Booksmile, 2015)
Quero o Meu Chapéu, de Jon Klassen (Orfeu Negro, 2014)
Um Livro, de Hervé Tullet (Edicare, 2010)
9789896790509
O Dia em que os Lápis Desistiram, de Drew Daywalt e Oliver Jeffers (Orfeu Negro, 2014)
Um Urso Chamado Paddington, de Michael Bond (Editorial Presença, 2014)

paddington1
Puff e os seus amigos, de A. A. Milne (Relógio D’Água, 2007)
O Coelho Pedro e Outras Histórias, de Beatrix Potter (Europa-América, 2007)
Na Cozinha da Noite, de Maurice Sendak (Kalandraka, 2014)
O Grufalão, de Julia Donaldson e Axel Scheffler (Jacarandá, 2014)
A Lagartinha Muito Comilona, de Eric Carle (Kalandraka, 2010)

unha eiruga euskera-portugues-brasil:Maquetaci—n 1
Pippi das Meias Altas, de Astrid Lindgren (Booksmile, 2013)
O Dia em que o Senhor Bonifácio Ficou em Casa Doente, de Philip C. Stead (Editorial Presença, 2013)
bonifacio
A História de Babar, o Pequeno Elefante, de Jean de Brunhoff (Plátano Editora, 1980)
Lily e a Sua Carteira de Plástico Roxa, de Kevin Henkes (Everest Editora, 2005)

lily

A lista completa encontra-se aqui.

Bloomsbury lança edição ilustrada de «Harry Potter e a Pedra Filosofal»

A Bloomsbury, na Inglaterra, e a Scholastic, nos EUA, preparam-se para lançar uma edição ilustrada do primeiro volume da saga juvenil de J.K. Rowling. As ilustrações estiveram a cargo de Jim Kay, vencedor do Kate Greenaway Medal. A data de lançamento está prevista para 6 de outubro, com capa dura, ilustrações a cores no interior e uma fita marcadora. Tudo o que temos para já dessa edição são estas imagens.

(c) Bloomsbury
(c) Bloomsbury. Por ordem – Ron Weasley, Rubeus Hagrid, Hermione Granger, Draco Malfoy.

Mais informações aqui.

«As Aventuras de Flora & Ulisses» chega às livrarias

aventurasflora

Kate DiCamillo, autora A Lenda de Despereaux, tem já várias obras publicadas em Portugal pela Gailivro, e agora regressa às nossas livrarias pela Editorial Presença, com As Aventuras de Flora & Ulisses, vencedor do Newberry Medal 2014. A história começa quando um esquilo com superpoderes e uma queda para a poesia é salvo por uma menina que não acredita propriamente em contos de fadas. O livro apresenta um formato original de texto intercalado com ilustrações de K.G. Campbell à la novela gráfica.
A chegar às livrarias já em janeiro.

flora-and-ulysses-spread