Para pensar, aprender, imaginar…

bookbuzz_28fev2015

Crianças que acreditam, crianças que são atiradas para um mundo sem futuro, mas onde a luz se encontra nos livros chamuscados, crianças que aprendem o significado profundo de certas palavras, crianças que são crianças, e crianças que descobrem a diversidade do afeto. Estes são alguns dos títulos que estão a dar que falar.

NãoFizTrabalhosCasa_CPweb

Não fiz os trabalhos de casa porque…, de Davide Cali e Benjamin Chaud, Orfeu Negro

«É impossível fazer os trabalhos de casa quando um avião de macacos aterra à nossa porta. Além disso, os elfos esconderam todos os lápis. E houve também um problema com plantas carnívoras! As desculpas absurdas seguem-se umas às outras, num crescendo hilariante, ilustrado ao detalhe por Benjamin Chaud. Divertimento garantido para miúdos e graúdos e para todos os que gostam de procrastinar com muita imaginação.»

Amizade_capa_br_largeLIBERDADE_-1

Coleção «Vou pensar nisso», de Isabel Zambujal, ilustração Inês Fonseca, Alêtheia

«”Vou pensar nisto” é uma colecção que fala de coisas sérias a brincar. Fala de palavras enormes não por causa do seu tamanho, mas porque cabem muitas coisas importantes dentro delas.»

capa_queluz

Que Luz Estarias a Ler?, de João Pedro Mésseder, ilustração Ana Biscaia, Xerefé Edições

«Aysha é uma menina que perde Kalil num bombardeamento à escola deles mas que encontra nos livros uma ligação eterna com o amigo.» Artigo sobre o livro aqui.

euacredito

Eu acredito, de David Machado, ilustração Alex Gozblau, Alfaguara Portugal

«O que acontece quando um grande contador de histórias e um grande ilustrador se juntam? Uma história para sempre. Eu Acredito é um livro sobre a magia e o encanto de ser criança. Um menino que transforma as suas dúvidas em certezas e nos devolve a todos a esperança e a beleza da infância.»

portada.fh11

Não há dois iguais, de Javier Sobrino e Catarina Sobral, Kalandraka

«Há-os em todos os países, nas terras altas e nas planícies longínquas, nas urbes populosas e nas aldeias esquecidas. Podem encontrar-se em qualquer lugar, apesar de não serem fáceis de conseguir … Em Não há dois iguais, Javier Sobrino e Catarina Sobral abordam o tema do afeto a partir de um ponto de vista poético, diverso e com base numa proposta enigmática que deixa os leitores em suspense até ao final do livro.»

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s