Category Archives: ALEXANDRA MARTINS

#9 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro Pedro é um Super-Herói.

Pedro-e-um-Super-Heroi

O Pedro e um amigo, mascarados com os seus fatos de super-heróis, sentem-se verdadeiramente imbatíveis e vão à procura de aventuras, mas o verdadeiro teste surge quando têm de salvar a mãe do Pedro de algo que a assustou. Onde é que se encontra o monstro? E será que é mesmo monstruoso?

Numa altura em que o Tiago já acha piada a super-heróis e aos poderes que estes têm, este livro encaixa na perfeição, com uma história divertida e cheia de aventuras, mas ainda assim adequada aos mais pequenos, sem vestígios de violência mas com muito humor e uma conclusão surpreendente, que vai fazer rir pais e miúdos por igual.

Pedro é um Super-Herói
Autor: Seda Darcan Çiftçi
Editora: Zero a oito

Anúncios

#8 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro Até os piratas fazem cocó!

152729

Nesta fase dos dois anos, chegamos impreterivelmente à fase do desfralde e aqui a mãe acha que é sempre mais fácil se dermos exemplos semelhantes – mesmo que depois a coisa não funcione ainda na prática, pelo menos a teoria fica lá. Nada melhor do que dar exemplos através de histórias, melhor ainda se forem divertidas e engraçadas.

E é o que esta história é – afinal, o pirata Pipo, antes de aprender a usar o bacio, passa por uma série de peripécias no mínimo peculiares. E mesmo que toda a família lhe diga «não te preocupes e sorri, até os piratas fazem cocó e xixi», ainda pode levar algum tempo até o Pipo ser bem-sucedido.

Um livro com um formato diferente (em formato de bacio visto de cima), com abas largas para promover a curiosidade e a interação, cores ricas e vibrantes e uma história toda em verso, quase cantada, que ganha assim um ritmo fluido e perfeito para ler em voz alta aos nossos filhos.

Até os piratas fazem cocó!
Autor: Sarah Creese
Editora: Zero a oito

#7 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro Bons hábitos – Adeus, fraldas!

adeusfraldas

O Tomás já é crescido, já não precisa de usar fraldas. Então, vai explicar aos leitores, página a página, quais são os passos a dar quando vai à casa de banho. Ilustrações suaves e instruções simples e diretas para ajudar os mais novos a interiorizar o processo de largar as fraldas, este pode ser um livro muito útil na altura do desfralde. Traz ainda uma tabela semanal, autocolantes de estrelas e uma medalha de cartão igual à do Tomás para quando os pequenos largarem as fraldas de vez.

É de tal forma direto e adequado à faixa etária dos dois anos que, muitas vezes, é já o meu filho que me conta a mim a história, narrando de cor os passos que o Tomás dá e avançando na história com base nas ilustrações. E repetindo os passos sempre que é ele que vai à casa de banho. Um livro didático e divertido que os pequenos vão adorar.

Bons hábitos – Adeus, fraldas!
Autor: Sergio Folch e Patrícia Geis
Editora: Editorial Presença

#6 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro do Grau! Grau!

1540-1 (1)

Este é um livro que já nos acompanha desde o primeiro aniversário do filhote e foi ótimo na altura do desenvolvimento da fala, despertando-lhe a curiosidade com as suas cores vivas e as abas largas, os animais para descobrir e os sons para imitar. Com ilustrações do próprio autor, é um livro divertido e que permite o manuseamento pelos próprios bebés/crianças – tem um tamanho adequado e folhas grossas que promovem a motricidade fina dos pequenos.

Excelente aposta para uma fase em que estão a descobrir o gosto pelos livros, mas que ainda não têm capacidade de acompanhar uma história de fio a pavio. Um livro que vai permanecer mesmo quando eles já gostarem de outras coisas mais avançadas, ou não fosse o meu filho de vez em quando buscá-lo à estante.

Consegues imitar? Grau! Grau!
Autor: Sebastien Braun
Editora: Jacarandá Editora

#5 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro da Patrulha Pata – Às escuras!

1540-1

Este livro foi uma prenda de anos que o filhote recebeu e foi o mote de partida para a febre da Patrulha Pata (todos os pais com crianças com menos de cinco anos sabem ao que me refiro!). Mas a verdade é que o livro é mesmo engraçado, principalmente quando utilizado em simultâneo com a lanterna que o acompanha e que, além de luz, tem uma série de botões com diferentes sons para se irem experimentando ao longo da história.

A Baía da Aventura ficou às escuras e a Patrulha Pata tem de resolver o problema ao mesmo tempo que prepara a festa surpresa para o aniversário do Chase. À medida que vamos avançando na história e passando as páginas – folhas grossas e com efeito 3D – vão-nos sendo dadas indicações de que sons fazer e de como utilizar a lanterna, criando sombras e tornando a leitura muito interativa. Os mais pequenos adoram a lanterna, para utilizar com o livro ou sozinha; a história é curtinha e dinâmica, bem ao estilo da Patrulha Pata, e é um excelente complemento à série televisiva.

Já sabem, pais com filhos fãs dos cachorros da Baía da Aventura, têm aqui uma ótima alternativa aos desenhos animados!

Às escuras – Patrulha Pata
Editora: Pil Books

#4 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro Um nadinha apertados!

793192

O rato finalmente encontrou a casa per-fei-ta! Tem o espaço exato para as suas coisas, nem mais, nem menos. O problema começa quando o rato descobre que partilha a casa com um enorme urso-pardo, um gigantesco crocodilo e um tigre grande e desastrado. De repente, a casa torna-se um nadinha apertada para todos eles.

Esta é uma história muito engraçada, aliando uma narrativa dinâmica com umas ilustrações fantásticas. O livro é um pouco grande (superior a um A4) para ser manuseado pelos mais novos, mas com uma ajudinha dos pais, torna-se a leitura perfeita. O seu ritmo fluído e a linguagem utilizada – em expressões que se repetem, onomatopeias que podemos repetir com os mais pequenos, pontuação que marca o tom que deve ser usado na leitura – fazem deste livro um dos preferidos lá de casa.

Um nadinha apertados!
Autor: Tracey Corderoy
Editora: Minutos de leitura

#3 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro Os piratas não têm medo do escuro.

793171

O Afonso quer ser um pirata e passar a noite sozinho na tenda que montou no jardim. Recusa, por isso, todas as vezes que a sua irmã mais nova lhe pede para ficar com ele. Afinal, as fadas têm medo do escuro, ao contrário dos piratas. Mas quando, já de noite, a sua lanterna se apaga e se ouvem barulhos muito estranhos do lado de fora da tenda, talvez o Afonso tenha de admitir que os piratas também podem ter um bocadinho de medo do escuro.

Uma história encantadora, com as deliciosas ilustrações de Alison Edgson, que fala das rivalidades e das amizades entre irmãos, da coragem e da importância de assumirmos os nossos medos. Com páginas de folhas finas e um tamanho superior a um A4, é um livro perfeito para ser lido em família, pois tanto filhos como pais vão adorar.

Os piratas não têm medo do escuro
Autor: Maudie Powell-Tuck
Editora: Minutos de leitura

#2 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos a história d’O Tigre Vagaroso.

Esta tornou-se uma das histórias favoritas dos últimos tempos, com o filhote a pedi-la repetidas vezes. É um livro de folhas grossas e com um ótimo tamanho para ser manuseado pelas mãos mais pequeninas. Tem uma história dinâmica, mas simples, e com um final surpreendente e que nos ensina a todos uma bonita lição.

O-Tigre-Vagaroso

Em O Tigre Vagaroso, a tartaruga faz anos e o seu melhor amigo, o tigre, oferece-lhe um par de patins. Mas o que foi a prenda ideal para a tartaruga, torna-se um grande desafio para o tigre, que agora é mais lento e não gosta nada disso. Engendra então uma série de esquemas para ultrapassar a tartaruga, passando da corrida, aos patins, ao carro, ao barco, à mota – acho mesmo que é este rol de veículos que o tigre usa que encantam o meu filho, viciado em tudo o que tenha rodas – mas tudo falha. É então que o tigre, desanimado, tem uma excelente surpresa. Porque, afinal, na amizade não interessa quem é o mais rápido.

E quem sai a ganhar desta corrida entre o tigre e a tartaruga somos nós e os nossos filhotes, que nos deliciamos com esta leitura inesperada!

O Tigre Vagaroso
Coleção: História inesperada
Autor: Yoyo Studios
Editora: Yoyo Books

# 1 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos as histórias do Bolinha.

A coleção do Bolinha é extensa e já cá anda há muitos anos. Lembro-me de, em pequena, ter um livro do Bolinha (O Natal do Bolinha) do qual eu gostava muito. Por causa dessa memória feliz, não resisti a comprar para o meu filho alguns livros do Bolinha. Começámos com O Bolinha vai à praia, na altura das férias do ano passado, seguiu-se A festa de anos do Bolinha e, o mais recente, O Bolinha já sabe contar. E temo que não fique por aqui.

O-Bolinha-Vai-a-Praia

É uma coleção muito interessante para estimular os mais pequenos para a leitura. O Bolinha é uma personagem com a qual eles facilmente se identificam, as abas para levantar promovem a interação com o livro e a história, simples e direta, mas sempre divertida, permite criar-lhes o gosto pela leitura. É adequado para todas as idades, preferencialmente a partir de um ano, altura em que já começam a manusear melhor os livros e as páginas de folha fina.

Lá por casa, o Bolinha é, sem dúvida, uma aposta ganha! Já ando a pensar qual será o próximo que vou comprar!

Coleção Bolinha
Autor: Eric Hill
Editora: Editorial Presença

Leituras para as Férias Grandes, por Alexandra Martins

Com o verão, chegam o sol, o calor e, claro, as férias! E apesar de um bom livro se ler em qualquer estação do ano, admito que, para mim, o verão puxa a leituras mais leves, mais alegres, mais sonhadoras. E é por isso que vos deixo as seguintes sugestões, entre livros mais antigos e novidades editoriais, todos perfeitos para ler estendidos na toalha à beira-mar ou numa cama de rede no meio do campo.

Uma aventura na praia, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada (Caminho)

«Mergulhadores, navios afundados, tesouros no fundo do mar, um acampamento agitado, um casal estrambólico com dois filhos infernais que dão pelo nome de Bruninho e Bruninha, mais o perigosíssimo ladrão sul-americano que se desloca de helicóptero e que ninguém no mundo conseguiu capturar, são os ingredientes desta aventura numa praia cheia de rochas e grutas onde as emoções vão muito para além de namoros e banhos de mar.»

E começamos com um clássico, mas que é um dos meus livros favoritos da série Uma Aventura. Este livro tem tudo: praia, serra, grutas misteriosas, amizade, romance, aventura e diversão. Sempre na companhia dos eternos cinco amigos e seus cães, com novas personagens extravagantes e cativantes em partes iguais. E o Duarte, claro. Não sabem quem é? Então leiam este livro e depois digam lá se não concordam com a Luísa!

Entre as linhas, de Jodi Picoult e Samantha Van Leer (Bertrand Editora)

«Delilah não consegue parar de ler o seu conto de fadas preferido. As outras raparigas da sua idade já começaram a namorar e são populares, mas ela prefere o conforto de um final feliz e de saber que não vai ter surpresas. Até que lhe acontece a maior surpresa de todas… Oliver é o príncipe encantado do conto de fadas de que Delilah tanto gosta. Um dia, ele olha para ela da sua página e começa a falar. É um milagre que a princípio parece perfeito… mas depois fica tudo virado do avesso. Agora Delilah vai ter de decidir: vai ajudar o príncipe Oliver a sair das páginas do livro? Ou será a sua oportunidade para mergulhar nas páginas de um final feliz?»

Uma jovem apaixonada pelos livros e pelas suas histórias. Um conto de fadas de encantar. Um príncipe vindo diretamente das páginas do nosso livro preferido, para dar uma reviravolta à nossa vida e nos fazer questionar o que é normal e o que é real. Querem melhor do que «mergulhar nas páginas de um final feliz»? Só que os finais felizes dão trabalho, tal como a nossa protagonista irá perceber. Valerá a pena? Vamos descobrir!

Quatro amigas e um par de calças, de Ann Brashares (Editorial Presença)

«Esta é a história de quatro grandes amigas que, pela primeira vez, vão estar separadas nas férias de Verão. Antes de partirem, fazem um original acordo: partilhar umas “calças mágicas” compradas em segunda mão, que enviarão por correio umas às outras. Nestas férias, cada uma delas viverá algo de completamente novo, tendo como única testemunha o par de calças.»

O verão lembra-me sempre este livro. Quatro adolescentes, amigas desde sempre, terão de se separar pela primeira vez nas férias de verão e é individualmente, sem a força umas das outras, que tanto vão aprender, que tanto vão crescer. Quatro histórias que se interligam e que têm como ponto de convergência a amizade verdadeira, o crescimento e os desgostos que ele pode trazer e, sempre no centro, um par de calças de ganga mágicas que zelam pela união destas amigas. Uma história intemporal, mas com um gostinho especial a verão.

O verão em que me apaixonei, de Jenny Han (Topseller)

«”Toda a minha vida era medida em verões. Como se não começasse efetivamente a viver enquanto não chegasse junho, até estar naquela praia, naquela casa.”

Tudo o que é bom e mágico acontece durante o verão, e é a sonhar com o verão que Belly, de 16 anos, passa os seus dias. Para ela, os invernos são insuportáveis e sinónimo de estar longe de Jeremiah e de Conrad, os rapazes que Belly conhece desde a sua primeira estadia na casa de praia. Eles são os seus quase-irmãos, os seus inseparáveis parceiros de aventuras. Até que chega aquele verão — maravilhoso e ao mesmo tempo terrível — em que tudo muda. Estas poderão ser as últimas férias que passam todos juntos na casa de praia. Chegou o momento de perpetuar memórias, confessar paixões escondidas e, acima de tudo, é hora de, finalmente, Belly começar a obedecer ao seu coração. Um romance com sabor a mar e a liberdade, sobre crescer e apaixonar-se, deixando-nos a desejar por mais.»

Os verões perfeitos de Belly, Jeremiah e Conrad estão a chegar ao fim e é esta a última oportunidade que têm para estar juntos. E é neste verão que Belly descobre que tanto pode mudar de um ano para o outro. Terá de enfrentar os seus sentimentos e o seu futuro, na esperança de conseguir que a felicidade dure mais do que uma estação. Do outro lado das páginas, estamos nós, a acompanhar o seu desenvolvimento e a torcer pelo seu final feliz.

A incrível viagem de Arthur Pepper, de Phaedra Patrick (Topseller)

«Repleta de personagens inesquecíveis e episódios memoráveis, “A Incrível Viagem de Arthur Pepper” é uma história imperdível sobre o despertar para as possibilidades infinitas da vida.
Arthur Pepper, de 69 anos, leva uma vida simples e rotineira, como quando a sua mulher, Miriam, era viva. Levanta-se às 7h30, rega a sua planta Frederica e vai tratar do jardim. O dia a dia de Arthur corre como deve ser. Sem surpresas. Sem sobressaltos. Até que no primeiro aniversário da morte da mulher, tudo muda. Ele encontra no meio dos pertences de Miriam uma pulseira que não se recorda de ter visto antes. Uma pulseira com oito berloques diferentes, cada um mais misterioso do que o outro. Num deles encontra até um número de telefone.
Intrigado, Arthur resolve telefonar e descobrir a quem pertence aquele número. As revelações que se seguem vão lançá-lo numa jornada surpreendente. De Londres a Paris, cidades que nunca imaginou visitar, Arthur irá fazer novas e fascinantes descobertas não só sobre a sua mulher, mas também sobre si próprio.

Encantador e comovente, mordaz e cheio de humor, este romance é ideal para leitoras de ficção romântica.»

Leitoras e leitores, de ficção romântica e de todas as idades. Assim devia dizer este livro. Simples sem ser simplista, introduz-nos um conjunto de temas que nos fazem questionar a nossa própria vivência e a forma como levamos a nossa vida, tudo através da história de Arthur Pepper, um homem de rotinas previsíveis que, um ano depois da morte da sua mulher, descobre algo que o lança numa viagem por vários países, mas também pelo tempo, de forma a ficar a conhecer toda a verdade sobre a mulher que tão bem julgava conhecer. Uma viagem também de autoconhecimento, permitindo-nos acompanhá-lo e pensar, questionar, compreender. Um livro para viajar nas férias.