Category Archives: INFANTIL

Livros que ajudam as crianças a vencer os medos

por Sofia Pereira

Medo do escuro, das alturas, de se separar dos pais, de ser esquecido na escola, de dormir sozinho, dos pais se divorciarem, de personagens assustadores, de barulhos e ruídos estranhos, e da rejeição social são alguns dos medos que fazem parte do crescimento das crianças.

Em boa verdade, é natural que a criança sinta medo e isso é importante. Quando os mais pequenos sentem receio de algo, descobrem esse sentimento e começam a ser cautelosos. Paralelamente, as situações de temor ajudam-nos a avançar ou a fugir de determinadas realidades, tornando-os mais corajosos e resilientes.

O apoio dos pais nesta etapa da infância é crucial. É importante que estes estejam preparados para ajudar as crianças a lidar e a superar este sentimento intrínseco ao seu desenvolvimento, preparando-as para um futuro saudável e tranquilo.

Os livros podem ajudar as crianças a superar os seus medos. Num ambiente seguro e harmonioso, os pais podem e devem falar com os pequenos leitores sobre os seus medos e, através de fantásticas histórias e ilustrações, mergulhar nos seus medos, sem qualquer preocupação, tornando um problema tão delicado mais fácil de ser superado.

Deixamos a sugestão de alguns livros que podem ajudar as crianças a vencer os seus medos:

Maria do Medo – Uma História para Aprenderes a Vencer o Medo, de Rita Castanheira Alves, ilustrações de Carla Nazareth, Booksmile

«A Maria adora a escola, os dias de festa e cantar as suas canções favoritas. Desenha com a mão esquerda, sempre com lápis de cera, e adora tomar banho na banheira cheia de água. Mas a Maria tem um problema. Um problema que aparece todas as noites… Na hora de dormir, lá vem ele: O MEDO! Inclui dicas para os pais ajudarem as crianças a gerir as emoções.»

 

O gato e o escuro, de Mia Couto, ilustrações de Danuta Wojciechowska, Caminho

«A inventividade a que Mia Couto nos acostumou e o seu domínio da língua, numa história para crianças, ou também para adultos partilharem com as crianças. As ilustrações de Danuta Wojciechowska complementam este universo maravilhoso. Para perder o medo do escuro.»

 

 

Onde Vivem os Monstros, texto e ilustrações de Maurice Sendak, Kalandraka

«Na noite em que Max vestiu o seu fato de lobo e começou a fazer travessuras a torto e a direito, a mãe chamou-lhe: «-MONSTRO!» E Max respondeu-lhe: «-VOU-TE COMER!» Então ela mandou-o para a cama sem jantar. Naquela mesma noite, no quarto de Max surgiu uma floresta que cresceu… Esta obra, publicada pela primeira vez em 1963, suscitou certa polémica pelo tratamento nada exemplar para com as crianças, mas tornou-se num clássico da Literatura infantil e juvenil e num referente imprescindível do seu género.
Não só obteve a Medalha Caldecott (1964) e o American Book Award, como também foi eleito pelo The New York Times Book Review como um dos melhores livros ilustrados; desde então foi traduzido em inúmeras línguas e tornou-se num dos títulos mais lidos. Max empreende uma viagem simbólica a partir daí até um lugar fantástico, atravessando um tempo mítico e enfrentando os seus próprios medos. Depois de se tornar no rei de uns monstros tão ferozes como insinuantes, regressa ao ponto de partida, onde o aguarda o jantar.»

Carlota Barbosa, a Bruxa Medrosa, de Layon Marlow, ilustrações de Joelle Dreydemy, Dinalivro

«Era uma vez uma bruxa, mas não pensem que era uma bruxa como as outras. Nada disso. Ao contrário do que é costume, a Carlota Barbosa tem medo de tudo e por isso, em vez de assustar, é ela quem se assusta. E assusta-se por tudo e por nada: treme quando vê um sapo; o escuro deixa-a com os nervos em franja. Se encontra uma aranha, dá logo um salto até ao tecto. E quando voa no céu a alta velocidade, cai da vassoura abaixo se um mocho lhe cruza os ares. Mas a Carlota tem um grande amigo, um companheiro inseparável: é o Espinosa, o seu gato de estimação. Graças a ele, a Carlota torna-se uma bruxa verdadeira e corajosa. E assim perde a sua alcunha… Medrosa!»

O Monstro das Cores, texto e ilustração de Anna Llenas, Nuvem de Letras

«As emoções explicadas às crianças através das cores. A personagem principal é um monstro que muda de cor consoante o que está a sentir. Ele não percebe porque muda de cor e a sua amiga, a menina, explica-lhe o que significa estar triste, estar alegre, ter medo, estar calmo e sentir raiva.»

 

O pequeno livro dos medos, texto e ilustração de Sérgio Godinho, Assírio & Alvim

«Escrito e ilustrado por Sérgio Godinho, este livro fala-nos dos medos da infância, alguns mais fortes que nós, de como ultrapassamos outros (…o cavalo chegou-se à minha mão aberta, que tremia com a maçã em cima. Era a única coisa que lhe podia dar. Foi a única coisa que ele levou. Adeus cavalo, adeus medo dos cavalos.).
Até à história que o avô Francisco Magalhães, tipógrafo de profissão, escreveu para o seu filho João de cada vez que ele tivesse medo. Porque o medo também faz parte de nós (quem não tem medo?) mas quando começa a ser exagerado é preciso controlá-lo, nem que para tal seja preciso saltar, correr, espernear, lutar, falar, responder, perguntar, ou, muito simplesmente, pensar.»

Boas leituras!

 

Anúncios

#8 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro Até os piratas fazem cocó!

152729

Nesta fase dos dois anos, chegamos impreterivelmente à fase do desfralde e aqui a mãe acha que é sempre mais fácil se dermos exemplos semelhantes – mesmo que depois a coisa não funcione ainda na prática, pelo menos a teoria fica lá. Nada melhor do que dar exemplos através de histórias, melhor ainda se forem divertidas e engraçadas.

E é o que esta história é – afinal, o pirata Pipo, antes de aprender a usar o bacio, passa por uma série de peripécias no mínimo peculiares. E mesmo que toda a família lhe diga «não te preocupes e sorri, até os piratas fazem cocó e xixi», ainda pode levar algum tempo até o Pipo ser bem-sucedido.

Um livro com um formato diferente (em formato de bacio visto de cima), com abas largas para promover a curiosidade e a interação, cores ricas e vibrantes e uma história toda em verso, quase cantada, que ganha assim um ritmo fluido e perfeito para ler em voz alta aos nossos filhos.

Até os piratas fazem cocó!
Autor: Sarah Creese
Editora: Zero a oito

#7 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro Bons hábitos – Adeus, fraldas!

adeusfraldas

O Tomás já é crescido, já não precisa de usar fraldas. Então, vai explicar aos leitores, página a página, quais são os passos a dar quando vai à casa de banho. Ilustrações suaves e instruções simples e diretas para ajudar os mais novos a interiorizar o processo de largar as fraldas, este pode ser um livro muito útil na altura do desfralde. Traz ainda uma tabela semanal, autocolantes de estrelas e uma medalha de cartão igual à do Tomás para quando os pequenos largarem as fraldas de vez.

É de tal forma direto e adequado à faixa etária dos dois anos que, muitas vezes, é já o meu filho que me conta a mim a história, narrando de cor os passos que o Tomás dá e avançando na história com base nas ilustrações. E repetindo os passos sempre que é ele que vai à casa de banho. Um livro didático e divertido que os pequenos vão adorar.

Bons hábitos – Adeus, fraldas!
Autor: Sergio Folch e Patrícia Geis
Editora: Editorial Presença

#6 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro do Grau! Grau!

1540-1 (1)

Este é um livro que já nos acompanha desde o primeiro aniversário do filhote e foi ótimo na altura do desenvolvimento da fala, despertando-lhe a curiosidade com as suas cores vivas e as abas largas, os animais para descobrir e os sons para imitar. Com ilustrações do próprio autor, é um livro divertido e que permite o manuseamento pelos próprios bebés/crianças – tem um tamanho adequado e folhas grossas que promovem a motricidade fina dos pequenos.

Excelente aposta para uma fase em que estão a descobrir o gosto pelos livros, mas que ainda não têm capacidade de acompanhar uma história de fio a pavio. Um livro que vai permanecer mesmo quando eles já gostarem de outras coisas mais avançadas, ou não fosse o meu filho de vez em quando buscá-lo à estante.

Consegues imitar? Grau! Grau!
Autor: Sebastien Braun
Editora: Jacarandá Editora

#5 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro da Patrulha Pata – Às escuras!

1540-1

Este livro foi uma prenda de anos que o filhote recebeu e foi o mote de partida para a febre da Patrulha Pata (todos os pais com crianças com menos de cinco anos sabem ao que me refiro!). Mas a verdade é que o livro é mesmo engraçado, principalmente quando utilizado em simultâneo com a lanterna que o acompanha e que, além de luz, tem uma série de botões com diferentes sons para se irem experimentando ao longo da história.

A Baía da Aventura ficou às escuras e a Patrulha Pata tem de resolver o problema ao mesmo tempo que prepara a festa surpresa para o aniversário do Chase. À medida que vamos avançando na história e passando as páginas – folhas grossas e com efeito 3D – vão-nos sendo dadas indicações de que sons fazer e de como utilizar a lanterna, criando sombras e tornando a leitura muito interativa. Os mais pequenos adoram a lanterna, para utilizar com o livro ou sozinha; a história é curtinha e dinâmica, bem ao estilo da Patrulha Pata, e é um excelente complemento à série televisiva.

Já sabem, pais com filhos fãs dos cachorros da Baía da Aventura, têm aqui uma ótima alternativa aos desenhos animados!

Às escuras – Patrulha Pata
Editora: Pil Books

#4 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro Um nadinha apertados!

793192

O rato finalmente encontrou a casa per-fei-ta! Tem o espaço exato para as suas coisas, nem mais, nem menos. O problema começa quando o rato descobre que partilha a casa com um enorme urso-pardo, um gigantesco crocodilo e um tigre grande e desastrado. De repente, a casa torna-se um nadinha apertada para todos eles.

Esta é uma história muito engraçada, aliando uma narrativa dinâmica com umas ilustrações fantásticas. O livro é um pouco grande (superior a um A4) para ser manuseado pelos mais novos, mas com uma ajudinha dos pais, torna-se a leitura perfeita. O seu ritmo fluído e a linguagem utilizada – em expressões que se repetem, onomatopeias que podemos repetir com os mais pequenos, pontuação que marca o tom que deve ser usado na leitura – fazem deste livro um dos preferidos lá de casa.

Um nadinha apertados!
Autor: Tracey Corderoy
Editora: Minutos de leitura

#3 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos o livro Os piratas não têm medo do escuro.

793171

O Afonso quer ser um pirata e passar a noite sozinho na tenda que montou no jardim. Recusa, por isso, todas as vezes que a sua irmã mais nova lhe pede para ficar com ele. Afinal, as fadas têm medo do escuro, ao contrário dos piratas. Mas quando, já de noite, a sua lanterna se apaga e se ouvem barulhos muito estranhos do lado de fora da tenda, talvez o Afonso tenha de admitir que os piratas também podem ter um bocadinho de medo do escuro.

Uma história encantadora, com as deliciosas ilustrações de Alison Edgson, que fala das rivalidades e das amizades entre irmãos, da coragem e da importância de assumirmos os nossos medos. Com páginas de folhas finas e um tamanho superior a um A4, é um livro perfeito para ser lido em família, pois tanto filhos como pais vão adorar.

Os piratas não têm medo do escuro
Autor: Maudie Powell-Tuck
Editora: Minutos de leitura

#2 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos a história d’O Tigre Vagaroso.

Esta tornou-se uma das histórias favoritas dos últimos tempos, com o filhote a pedi-la repetidas vezes. É um livro de folhas grossas e com um ótimo tamanho para ser manuseado pelas mãos mais pequeninas. Tem uma história dinâmica, mas simples, e com um final surpreendente e que nos ensina a todos uma bonita lição.

O-Tigre-Vagaroso

Em O Tigre Vagaroso, a tartaruga faz anos e o seu melhor amigo, o tigre, oferece-lhe um par de patins. Mas o que foi a prenda ideal para a tartaruga, torna-se um grande desafio para o tigre, que agora é mais lento e não gosta nada disso. Engendra então uma série de esquemas para ultrapassar a tartaruga, passando da corrida, aos patins, ao carro, ao barco, à mota – acho mesmo que é este rol de veículos que o tigre usa que encantam o meu filho, viciado em tudo o que tenha rodas – mas tudo falha. É então que o tigre, desanimado, tem uma excelente surpresa. Porque, afinal, na amizade não interessa quem é o mais rápido.

E quem sai a ganhar desta corrida entre o tigre e a tartaruga somos nós e os nossos filhotes, que nos deliciamos com esta leitura inesperada!

O Tigre Vagaroso
Coleção: História inesperada
Autor: Yoyo Studios
Editora: Yoyo Books

# 1 «Uma história por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…»

por Alexandra Martins

Todas as noites, a rotina é a mesma: lavar os dentes, banho, cama. Espera, espera! Antes de ir para a caminha, há sempre uma história para contar. Ou duas, ou três… O filhote pede, a mãe acede. Na outra noite, lemos as histórias do Bolinha.

A coleção do Bolinha é extensa e já cá anda há muitos anos. Lembro-me de, em pequena, ter um livro do Bolinha (O Natal do Bolinha) do qual eu gostava muito. Por causa dessa memória feliz, não resisti a comprar para o meu filho alguns livros do Bolinha. Começámos com O Bolinha vai à praia, na altura das férias do ano passado, seguiu-se A festa de anos do Bolinha e, o mais recente, O Bolinha já sabe contar. E temo que não fique por aqui.

O-Bolinha-Vai-a-Praia

É uma coleção muito interessante para estimular os mais pequenos para a leitura. O Bolinha é uma personagem com a qual eles facilmente se identificam, as abas para levantar promovem a interação com o livro e a história, simples e direta, mas sempre divertida, permite criar-lhes o gosto pela leitura. É adequado para todas as idades, preferencialmente a partir de um ano, altura em que já começam a manusear melhor os livros e as páginas de folha fina.

Lá por casa, o Bolinha é, sem dúvida, uma aposta ganha! Já ando a pensar qual será o próximo que vou comprar!

Coleção Bolinha
Autor: Eric Hill
Editora: Editorial Presença

Leituras para as Férias Grandes, por Sofia Pereira

Cinco livros para ler, para desfrutar, para folhear, para oferecer ou para partilhar. Em qualquer lugar. A qualquer hora. Porque, nas férias, é tempo de ler. E os livros são sempre uma das melhores companhias.

 

A Sereia e os Gigantes, de Catarina Sobral, Orfeu Negro

«Conta a lenda que havia dois gigantes, o Mar e a Montanha, que nunca se tinham zangado. Um dia, a Sereia chegou e, de imediato, despertou a curiosidade dos gigantes, que logo dela se enamoraram. Numa disputa feroz, o Mar e a Montanha movem céus e terra um contra o outro, na esperança de conquistar o amor da Sereia.»

Porquê? Verão cheira a maresia, praia, ondas, conchas e criaturas e monstros marinhos. Por isso, estas são as férias ideais que nos podem ajudar a viajar, através do universo das letras e dos livros, para cenários idílicos e paradisíacos, ao conhecer e ler histórias que despertem a curiosidade pelo maravilhoso mundo marinho, descobrindo as suas lendas, os seus encantos e as suas riquezas.

Cá Dentro, texto de Isabel Minhós Martins e Maria Manuel Pedrosa, ilustrações de Madalena Matoso, Planeta Tangerina

«Na Antiguidade julgava-se que o órgão responsável pelos nossos pensamentos e emoções era o coração. Hoje já sabemos que tudo o que somos – pensamentos, emoções, decisões, ideias – acontece dentro do cérebro, em conversa contínua com o resto do corpo. Mas como nasce um pensamento? Como funciona o cérebro? Como é que o cérebro guarda o que aprende? Como se emociona, cria, inventa e faz de cada um de nós uma pessoa única e irrepetível? Construído com o apoio de uma equipa de neurocientistas, filósofos e psicólogos, Cá Dentro acompanha a evolução do cérebro desde o primeiro segundo, mostra-nos a incrível realidade construída com a ajuda dos sentidos, explica-nos como aprendemos, decidimos ou agimos e também como nos ligamos às outras pessoas, outros cérebros. Se todas as experiências da vida contribuem para moldar o nosso cérebro, esperamos que esta leitura contribua para um cérebro (ainda) mais curioso, motivado e feliz.»

Por que razão? O cérebro humano é um mundo difícil de compreender. Mas todos, em algum momento das nossas vidas, ansiamos ter a lâmpada do Aladino para perceber como tudo funciona: os nossos pensamentos, as nossas emoções, as nossas ideias. Este livro, que pode ser explorado num ambiente de harmonia familiar, leva-nos numa viagem pelo órgão mais complexo de entender, numa linguagem acessível e num percurso de desafios sobre o fascinante e misterioso mundo da massa cinzenta. Uma descoberta que pode tornar os cérebros leitores mais seguros, exigentes, autênticos e espontâneos.

Descobre o caminho – No fundo do mar, de Paulo Boston, Booksmile

«Os habitantes da Cidade Oceânica precisam da tua ajuda! Explora o fantástico mundo subaquático e ajuda-os a construir um castelo. Mergulha junto ao navio naufragado e tem cuidado com o polvo gigante, enquanto resolves enigmas matemáticos e colecionas objetos ao longo do caminho.»

Livro-interativo, porquê? As férias são para ler, mas também brincar. E quando é possível conciliar estas duas actividades, tudo fica mais fácil. Com este livro, pretende-se que os leitores mais novos descubram o fascinante mundo aquático, através da interatividade e dos desafios matemáticos propostos, contribuindo para o seu desenvolvimento intelectual e para o raciocínio lógico.

O Mundo de Garfield 1978-1983, de Jim Davis, Verbo

«Quem não conhece Garfield, esse gato redondinho (nunca lhe chamem gordo!) e cor de laranja que nasceu na cozinha de um restaurante italiano? Preguiçoso e guloso, adora comida italiana (e não só!), não perde uma boa sesta, odeia as segundas-feiras, é avesso a passas e a dietas, tem nojo de caçar ratos, detesta despertadores e, sobretudo, tem um constante e adiado ajuste de contas (e de peso) com a balança. O Mundo de Garfield, 1978 – 1983, para além de coligir num único volume, a preto e branco e por sequência cronológica, as tiras originalmente publicadas durante os primeiros cinco anos e meio da vida de Garfield, conta ainda artigos que permitem ao leitor acompanhar o percurso de um gato sarcástico e preguiçoso, cujo sucesso é indesmentível.»

Ler, porque sim! O gato Garfield é a personagem de banda desenhada criada por Jim Davis e a mais publicada em jornais de todo o mundo, tendo-lhe valido, em 2002, um recorde do Guiness. É um gato preguiçoso, sarcástico e guloso, que adora dormir, comer lasanha e pizza e delicia os leitores com o seu humor indesmentível. Um livro para descontrair com as tirinhas apetecíveis deste gato redondinho!

A Sereia, de Kiera Cass, Marcador

«O mesmo discurso foi feito centenas de vezes a centenas de lindas raparigas que entram na irmandade das sereias. Há anos que Kahlen segue as regras, esperando pacientemente pela vida que poderá considerar sua. Mas quando Akinli, um ser humano, entra no seu mundo, ela não consegue continuar a viver segundo as regras. De repente, a vida pela qual tem esperado não parece tão importante como a que está a viver agora. «Se tens estado pacientemente à espera de algo num mundo não relacionado com “A Seleção”, aqui o tens! Deram-me a oportunidade de reescrever o meu primeiro livro, “A Sereia”. Este conta a história de Kahlen, uma sereia, enquanto vive com as suas irmãs ao serviço de Oceano, afundando navios com o seu canto e mantendo em segredo o seu dom mortífero. Kahlen vai gerindo as coisas o melhor que se pode esperar de uma rapariga que está proibida de falar, cantar e rir, até conhecer Akinli, um rapaz ligado a Oceano à sua maneira. E então, a vida que ela poderia ter agora, ainda que breve e cheia de segredos, parece valer o risco, mesmo que isso signifique desistir do futuro para o qual tem trabalhado.»

Vale a pena ler? Claro que sim! Como se cruzam os mundos de uma Sereia e de um Humano? Será que a conexão intensa que os une será suficiente para corromper as regras que os impedem de se ligar um ao outro? Até onde vai a coragem para seguir a voz do coração? Uma história emocionante e arrebatadora que não podem deixar de ler!