Tag Archives: Dia Mundial da Criança

«Nunca ninguém conseguirá ir ao fundo de um riso de criança.»

por Sofia Pereira

«Nunca ninguém conseguirá ir ao fundo de um riso de criança.»
Victor Hugo

A II Guerra Mundial, em 1945, constituiu o ponto de partida para o reconhecimento de SER CRIANÇA. Depois de terminada a guerra e da crise instalada, muitos países não tinham condições económicas e afetivas para educar as suas crianças. Muitas não tinham pais, não tinham lugar para dormir, comida para se alimentar e escola onde estudar. Todos estes condicionantes levaram a uma enorme debilidade física e psíquica, que conduziu as crianças à morte. Muitas morreram em situações dramáticas.

Como resposta a estas dificuldades foi criada a UNICEF e, mais tarde, assinalou-se o dia comemorativo de todas as crianças do Mundo. Foi a 1 de junho de 1950 que se comemorou pela primeira vez o Dia Mundial da Criança. Porém, só em 1959 foi aprovada a «Declaração dos Direitos da Criança», que define os dez direitos das crianças, que se pautam pelo respeito, pelo amor, pela compreensão, pela proteção, pela educação gratuita e por todos os cuidados necessários que proporcionem um crescimento saudável num clima de PAZ e FRATERNIDADE!

Todas as crianças devem ter estes direitos! Neste dia, mais do que uma festa de alegria e amizade, em que as crianças se tornam as personagens principais, é urgente refletir e encontrar medidas que garantam o bem-estar e a felicidade de todas as crianças, porque o melhor do Mundo é o sorriso de uma criança!

Torna-se importante falar com as crianças sobre os seus direitos e levá-las a exprimir as suas ideias sobre o assunto: se acham que todos/as os/as meninos/as do Mundo vivem com as mesmas condições, em paz e em segurança; se todas as crianças vão à escola aprender coisas novas, como elas; se têm um/a médico/a que cuide delas quando estão doentes; se, no fundo, todos os meninos e todas as meninas terão a mesma sorte que elas.

Os livros podem ajudar a falar sobre os Direitos da Criança. Através das ilustrações e do texto que deve ser lido pausadamente, as crianças poderão compreender que o direito a uma infância protegida, respeitada, feliz e saudável deverá estar acessível a todos/as os/as meninos/as do Mundo. Deixamos hoje aqui a sugestão de alguns livros, para ler neste dia tão especial:

Os Direitos das Crianças, de Luísa Ducla Soares, ilustração de Maria João Lopes, Civilização Editora

«Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o 1.º e 2.º anos de escolaridade. Apoio a Projectos relacionados com Cidadania. No ano em que a ONU comemora 20 anos sobre a “Declaração dos Direitos das Crianças”, Luísa Ducla Soares explica, aos mais novos, o significado de alguns dos Direitos das Crianças como, entre outros, o direito a ter um nome, a uma educação, à protecção, o direito a ter uma família e a poder brincar. Mas a autora termina lembrando que as crianças têm também deveres.»

Direitos da Criança, de Maria João Carvalho, ilustração de Carla Nazareth, Everest

«Quando a cor azul da amizade unir as crianças de todo o mundo, uma ponte feita de arco-íris levará a todas elas um gesto de amor e conduzirá ao tesouro da harmonia e do bem-estar.  Partindo do texto da Declaração Universal dos Direitos da Criança este livro pretende contribuir para que os princípios nela consagrados sejam cada vez mais divulgados e reconhecidos a todas as crianças sem excepção alguma.»

No Dia da Criança, de Luísa Ducla Soares, ilustração de Danuta Wojciechowska, APCC

«Há, por esse mundo fora, infâncias douradas ou simplesmente alegres e felizes.Mas há também crianças sem direitos, forçadas a trabalhos pesados e perigosos, obrigadas a combater em guerras, sem ninguém que as proteja. São meninos como vocês… Querem conhecer a história de um deles?»

Para não quebrar o encanto – os direitos da criança, de Vergílio Alberto Vieira, ilustração de Rita Oliveira Dias, Caminho

«Livro recomendado para apoio a projetos relacionados com a cidadania nos 3.º, 4.º, 5.º e 6.º anos de escolaridade. Vergílio Alberto Vieira dedica este livro aos direitos da criança, numa série de poemas em que alia a sensibilidade fina e justa à mestria da forma breve. As ilustrações deliberadamente «ingénuas» emprestam uma graça particular a este álbum a cores. O livro inclui o texto integral da Declaração dos Direitos da Criança.»

Amali e Abdul do Outro Lado do Muro, de Isabel Bravo, ilustração de Daniela Bacalhau, Caminho das Palavras

«Amali é uma menina de dez anos, natural do território da Palestina, que ao longo da história, rodeada pelo feminino, pela mãe e a avó-materna, partilha toda a sua cultura hebraica. Ela representa a fação israelita do conflito e tem um papel importante, para o qual persuade a sua família, na resolução do conflito preconizado na história; materializado no muro que separa as duas culturas. Abdul é um menino, da sua idade, natural do território da Palestina, que representa a fação palestiniana. Amali perde a sua bola na “Terra Proibida”, na demanda de recuperá-la confraterniza com Abdul. A amizade é descoberta e proibida por ambas as famílias. É através da “Declaração Universal dos Direitos da Criança”, que Amali consegue convencer os adultos de que o seu conflito não tem razão de ser. De forma figurada, à medida que o conflito diminui, representado pela amizade que vai surgindo entre a família de ambos, o muro desaparece. Dentro da história há outra história encaixada, um segredo que o avô da Amali – o avô Moisés – guarda das crianças da família: “Shoá” (holocausto), uma nuvem negríssima que o acompanha.  Este conto infantil, dirigido às crianças entre os nove e doze anos, é uma lição de História, uma história de Fé, um elogio à Paz, dedicado a todos aqueles que têm um muro a separá-los.»

Ser Criança é…, de Fernando Paulo Gomes, Luís Matos e Nuno Caravela, Fnac

«Este livro ilustra, ao longo de doze canções, o fantástico mundo das crianças e dá a conhecer todos os seus direitos para uma vida em harmonia. Os 10 Direitos da Criança, canções e atividades divertidas…»

A todas as crianças do Mundo um grande beijinho e um Feliz Dia da Criança!

Anúncios